Friday, February 8, 2013

Exame do Estado Mental - Conduta


CONDUTA

O exame da conduta diz respeito ao comportamento do paciente de um modo geral, é importante examinar tanto o momento da entrevista quanto o dia-a-dia do paciente, pois um paciente que durante a entrevista se mostra hipoativo, com mutismo e negativismo passivo, poderá estar apresentando-se em casa de forma hiperativa, com dromomania, hétero e autoagressividade...

Pacientes que procuram controlar, seduzir, concordar ou descordar insistentemente com tudo o que lhe é indagado ou até mesmo os pacientes que se portam de forma hostil, submissa, dependente etc., apresentam alterações na esfera da conduta

Alterações da Conduta

Alterações da esfera da volição: aqui, se consideram fases desde a intenção até a execução, a vontade é moldada pelo psiquismo até poder se manifestar de uma forma mais adequada. Ex.: Um sujeito ofendido com determinada discussão, poderá hesitar frente ao desejo de agredir fisicamente seu interlocutor, pensando nos pros e contras de tal comportamento, e decidindo posteriormente por uma saída socialmente aceita. 
  • Hiperbulia: aumento da vontade
  • Hipobulia: diminuição da vontade
  • Abulia (ou atinomormia): abolição completa da vontade

Alterações da esfera da conação: aqui se encontram os atos impulsivos e neste caso não existe um intervalo entre a vontade e a ação, se uma pessoa tem vontade de bater em alguém, ele bate. 
  • Frangofilia: impulso patológico para destruir objetos que estejam à volta do indivíduo. 
  • Hedonismo: conduta determinada pela busca do prazer e evasão ao desprazer a todo o custo. 

Compulsões: estão frequentemente associadas aos pensamentos obsessivos. O paciente é compelido a realizar atos com o intuito de aliviar um desconforto subjetivo. Ressalta-se que o sujeito tem consciência da irracionalidade de seu comportamento, tentando muitas vezes controlar a realização de tais atos, o que acaba provocando um significativo aumento na ansiedade. O sufixo “mania” indica a conduta resultante de uma compulsão.
  • Bulimia: compulsão a comer
  • Cleptomania: compulsão a roubar
  • Compulsão a comprar
  • Compulsão a masturbação
  • Compulsão a mentira
  • Dipsomania: compulsão a ingerir bebidas alcoólicas
  • Piromania: compulsão a atear fogo
  • Potomania: compulsão a beber água e outros líquidos
  • Tricotilomania: compulsão a arrancar os cabelos

Perversões Sexuais (ou Desvios Sexuais): consiste em desvios daquilo considerado normal em relação ao interesse e práticas sexuais. Uma prática do coito propriamente dito torna-se uma perversão no momento em que a prática em questão torna-se o objetivo da relação. O sufixo “filia” indica desejos anormais.
  • Coprofilia: obtenção de prazer sexual através de excrementos
  • Exibicionismo: obtenção de prazer sexual com o ato de mostrar os órgãos genitais, geralmente contra a vontade de quem observa
  • Fetichismo: desejo sexual concentrado em ou restrito a partes do corpo ou da vestimenta do parceiro
  • Gerontofilia: desejo sexual direcionado a pessoas de idade avançada
  • Necrofilia: desejo sexual direcionado a cadáveres ou tendência mórbida a estar na presença de cadáveres
  • Pederastia: desejo sexual direcionado a crianças ou púberes do mesmo sexo 
  • Pedofilia: desejo sexual direcionado a crianças púberes do sexo oposto
  • Urolagnia: obtenção de prazer sexual pela observação de uma pessoa urinando
  • Voyeurismo: obtenção de prazer sexual pela observação de pessoas praticando sexo ou despindo-se
  • Zoofilia (ou Bestialismo): desejo sexual dirigido a animais.

As perversões sexuais citadas a seguir não são necessariamente perversões, mas sim alterações quantitativas relacionadas a pratica sexual:
  • Ninfomania: aumento patológico do desejo sexual na mulher
  • Satiríase: aumento patológico do desejo sexual no homem

Outras alterações:
  • Coprofagia (escatofagia ou ripofagia): ingestão de excrementos
  • Colecionismo: acumulação patológica de objetos
  • Dromomania (ou ecdemomania): comportamento de andar a esmo, vaguear
  • Inapetência: falta de apetite
  • Hiperfagia: apetência exagerada para ingestão de alimentos
  • Mericismo: regurgitação voluntária do bolo alimentar após a deglutição, deglutindo-o novamente a seguir. Assemelha-se ao ruminar de alguns animais.
  • Pica: ingestão de substâncias que não se prestam a isso, como terra, barro, pregos, argamassa...
  • Tricofagia: comportamento de comer os cabelos
  • Onicofagia: comportamento de roer as unhas
  • Hiperatividade: aumento da atividade de uma maneira geral. Pode acontecer em quadros maníacos, em agitações catatônicas e estados de ansiedade extrema.
  • Hipoatividade: diminuição da atividade de um modo geral. Pode ser observar em quadros depressivos, estupores e algumas formas de esquizofrenia. 
  • Insônia: falta de sono
  • Hipersonia: excesso de sono
  • Negativismo (conduta oposicionista): caracteriza a recusa do paciente em executar o que é pedido a ele. 
    • Negativismo passivo: quando nega a fazer o que foi solicitado.
    • Negativismo ativo: quando o paciente executa o oposto ao solicitado.
  • Obediência automática: o paciente executa prontamente qualquer ordem
  • Ecopraxia (ou ecoaria, ecocinese, ecocinesia, ecomatismo, ecomotismo): repetição automática dos movimentos de outra pessoa
  • Parapraxia: quando um ato voluntario é executado de modo diferente do desejado. Ex.: colocar o despertador para as sete da noite em vez das sete da manhã. É conhecido em psicanálise como “ato falho”.
  • Estereotipias, meneirismos e tiques: são erroneamente considerados sinônimos:
    • Estereotipia: envolve o conceito da repetição. Está mais presente em quadros esquizofreniformes. 
      • Estereotipias de movimento (ou estereotipias paracinéticas): Repetição de um determinado movimento sem objetivo aparente. 
      • Estereotipias acinéticas (estereotipia de lugar): persistência ao longo do tempo em um determinado lugar.
      • Catalepsia: manutenção prolongada de determinada postura.
    • Meneirismo: está relacionado à esfera dos movimentos expressivos. Ex.: a chamada “face em máscara” do paciente com síndrome de Parkinson.
    • Tiques: também caracterizam padrão repetitivo, mas são mais elementares que as estereotipias. São movimentos involuntários que envolvem os grupos musculares geralmente acima do pescoço. Estão mais relacionados a transtornos “neuróticos”, como no caso do transtorno obsessivo-compulsivo. 
  • Autismo: comportamento de alheamento ao mundo externo, com hipoatividade, estereotipias, conduta bizarra...
  • Abasia: incapacidade de manter a postura vertical ou ereta devido a incoordenação motora
  • Automatismos: movimentos automáticos e involuntários presentes em estados crepusculares
  • Ambitendência: o individuo age em concordância com seus impulsos e sentimentos contraditórios. Ex.: um menino de seis anos, em meio a uma crise psicótica, que cuspia no profissional da equipe que tentava controlá-lo, e ao mesmo tempo que cuspia, levava a mão em frente à boa, evitando que o cuspe o atingisse. 
  • Apragmatismo: incapacidade de realizar tarefas elementares e relacionadas a valores sociais, como cuidar da higiene pessoal. 
  • Autoagressividade: atos agressivos contra si próprio. Tal sintoma pode se manifestar na forma de automutilação e num grau extremo, ação suicida. 
  • Heteroagressividade: pratica de atos agressivos contra outra pessoa. Chama-se ação homicida a intenção ou ação de colocar em risco a vida de outrem. 
  • Enurese: eliminação involuntária da urina.
  • Encoprese: defecação fora do vaso sanitário após a idade de três a quatro anos, não causada por lesões no sistema nervoso.
  • Bruxismo: ato de ranger os dentes durante o sono
  • Isolacionismo: comportamento de manter-se isolado de outras pessoas
  • Conduta bizarra: é de difícil descrição, é um sintoma frequente em pacientes esquizofrênicos, tem como principal característica a estranheza. Ex.: paciente que para masturbar-se, introduzia uma agulha de tricô na uretra. 
  • Conduta regressiva: se refere a atos coerentes com um estágio de desenvolvimento muito primitivo. Ex.: paciente que durante uma reunião abraçou a medica e posicionou-se de forma fetal, ficando assim por um longo tempo, como se dormisse. 
  • Conduta sedutora: paciente que age de forma a envolver o profissional, de forma a ganhar simpatia, compaixão e também despertar desejos sexuais nele. 
  • Conduta dramática: comportamento caracterizado pelo exagero e teatralidade. Se observa em pacientes histéricos
  • Risos imotivados: riso sem motivo aparente
  • Choro imotivado: choro sem motivo aparente
  • Promiscuidade: comportamento de manter relações sexuais indiscriminadas e com um grande numero de parceiros.
  • Sonambulismo: comportamento de andar ou realizar qualquer ato mais complexo enquanto dorme. 
  • Consumo excessivo de álcool
  • Uso de substâncias psicoativas


Referências:
OLIVEIRA, José Menna; LIMA, Roberto Pierobom. O exame do estado mental. Pelotas: UFPel, 2000. 227p.

No comments:

Post a Comment